Total de visualizações de página

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Aroldo Filho é Historiador, Literato, Letrista, Professor, Blogueiro, Jornalista Independente, Segurança, Vendedor, já foi Gerente de Vendas e às vezes é Humorista, também já foi Ator Amador  (Representando figuras do folclores católico, tais como Jesus Cristo, Rei-Mago Baltasar, Padre do livro "Os verdes abutres da colina" e São Vicente de Paula além de outros personagens em peças de escola).

1º Lugar em Auto de Natal no Estado do Ceará, atuando na ocasião como o Rei-Mago Baltasar em 2004.

Criador, Idealizador e Presidente do Jornal Delfos-CE (desde 2007).

Criador e Idealizador da Associação Cultural SEMPRE-Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité (2008). 

Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009).

2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010).

Criador da exposição histórica: "PACOTI: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste (2010). 

Formou-se em Licenciatura Plena em História (2010).

Sócio do Instituto Desenvolver (2011).

Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). 

Ministrou aulas de História, Geografia, Arte, Religião e Ciências em Pacoti e em Guaramiranga, no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel, na Escola Linha da Serra e na Escola Monteiro Lobato (entre 2008 a 2017).

2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012).

Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?" e "Quem sou?" realizados pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck.

Publica entrevistas, notícias, contos, crônicas, poesias, fábulas, romances, artigos, peça teatral e letra de música em 32 blogs desde 2005.

Recebeu a Comenda Domitila por Mérito Literário, da SECULDT-Secretaria de Cultura, Turismo e Desporto de Pacoti (2016).

Passou na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 2.370 inscritos no país. (2016).

Concluiu Pós-Graduação em Gestão Escolar (2016)

Passou novamente na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 3.207 inscritos no país. (2017).

Teve poesia publicada na Revista Gente de Palavra em fevereiro de 2018. 


sábado, 4 de outubro de 2008

LÓGICA

LÓGICA

Penso nesse crescimento anual dos países, emergentes ou não. Isso tudo é uma farsa, pois o dinheiro é simplesmente produto virtual. Não fora a internet que criara a moeda digital, esta sempre se encontrara na lógica do pensamento, embora seu símbolo se cunhe em matéria.

A riqueza de fato não se dá pelo acréscimo de capital, mas pela primazia da saúde, o que não é um luxo e sim um direito humano básico.

O que é progresso: fábricas ou ar puro? Córregos imundos que deságuam nos rios por um saneamento-básico inadequado, destruição do patrimônio público, assaltos? A interdependência dos países?

E quando será a próxima guerra? Quais motivos encobrirão a razão monetária da artilharia pesada: religião, partido político, o terrorismo que nunca acaba?

Nesse mundo moderno, somos todos analfabetos em alguma linha de raciocínio: taxa cambial, política, línguas estrangeiras, ciberespaço, astronomia, etc., e, principalmente, na aceitação de outras culturas.

E o choque cultural que sempre haverá dentro da própria cultura incongruente; onde para evoluir de classe social deve-se administrar bem os recursos financeiros, e para se conseguir trabalho com boa remuneração necessita-se de grau elevado de estudo. Todavia, o estudo não é priorizado.

Os acadêmicos são ainda uma espécie de “elite-intelectual” que tem o privilégio de alcançar o que deveria ser direito de todos, o ensino superior.

Um conceito de progresso, por favor! Inclui melhorar o ensino e a saúde do povo, mas não é tudo. Nosso país tem que deixar de depender tanto do capital estrangeiro, produzir suas próprias multinacionais, tanto capacitando a mão-de-obra local quanto valorizando os talentos da terra.

Outros países absorvem nossos produtos artísticos, atléticos e acadêmicos, enquanto aqui respiramos cultura importada a procura de uma identidade perdida a pelo menos quinhentos anos de europeização das Américas.

AROLDO FILHO
Pacoti_Ceará

3h e 45 min de 06/10/08

Nenhum comentário: